Ratinho Jr. quer destruir serviço público no mesmo dia do massacre de 2015

O governador Ratinho Jr. conseguiu colocar na pauta da Assembleia Legislativa para esse dia 29 de abril, quando completam exatamente cinco anos do massacre de servidores na Praça Nossa Senhora de Salete, um projeto de lei que extingue dezenas de cargos na área da educação e saúde do Estado do Paraná.

Em meio à pandemia de covid-19, Ratinho Jr. quer extinguir cargos como assistente de farmácia, técnico em radiologia e auxiliar de enfermagem. Mas não é só isso, o projeto de lei 189/2020 também mexe em todos os cargos que dão suporte ao trabalho de médicos e enfermeiros, com a intenção clara de entregar tudo à iniciativa privada, precarizando ainda mais o serviço público e prejudicando de forma direta toda população que necessita do Sistema Único de Saúde (SUS).

O projeto, no entanto, não se resume a destruir os serviços públicos de saúde, mas extingue também várias carreiras do setor da Educação básica e praticamente entrega toda a administração das universidades estaduais para a iniciativa privada.

“Ratinho Jr. se mostra ainda mais cruel do que seu antecessor Beto Richa. A crueldade é tanta que escolheu mandar incluir na pauta o projeto que destrói o serviço público justamente no dia em que se completam cinco anos do massacre da Praça Nossa Senhora de Salete, 29 de abril de 2015. Ratinho tripudia sobre a dor de dezenas de milhares de servidoras e servidores”, diz a professora Marlei Fernandes, da coordenação do Fórum das Entidades Sindicais (FES).

Confira o projeto de lei na íntegra.